domingo, 10 de novembro de 2013

O FUTURO DO TRABALHO


Com certeza se fossemos falar que trabalho é bom passaríamos a vida toda procurando repostas de como ele surgiu. É lógico e claro que existem afirmações e segmento que comprovam que ele é bom e faz bem a saúde física e mental, conforme o texto lido “colocar a mão na massa” envolve alguns desdobramentos interessantes, olhando do ponto de vista do escritor Domenico de Masi, Professor e Sociólogo, diz que no Paraíso não se trabalha, mais quero deixar meu comentário, o trabalho pode tornar algumas coisas importantes para nossa vida em um verdadeiro paraíso. É certo que a tecnologia esta avançando em uma velocidade muito grande, mais creio que até 2020 não podemos afirmar que a história de emprego vai acabar de certo que algumas gigantes empresas mundiais tiveram seu caixa afetado por crises, mas crises vão e vem, o importante é estarmos preparados e antenados nas tecnologias da informática e também nas informações e conhecimentos pessoais.

Eu creio que o aumento de trabalho flexível irá acontecer que a globalização e avanços tecnológicos irão contribuir e ampliar trabalhos free-lance, até porque essa forma de trabalho permite ao executor definir níveis de ganho de acordo com a sua capacidade de executar suas tarefas dentro das expectativas de mercado e das empresas que contratam seus serviços. Em 2020 o mercado de trabalho será “sim” bem diferente, pois afinal a cada década se evolui em tecnologia e formação pessoal.
Quanto à extinção dos escritórios, é muito definido falarmos que os mesmos irão acabar, pois creio que de notebooks à iphones e outras tecnologias que irão surgir, só servirão para melhorar ainda mais o mundo da informática. É lógico que em alguns países e empresas “porque não dizer também no Brasil” já se usa fazer reuniões e contatos usando a internet e interagindo do zelador ao presidente. A ideia de escritórios “locados” por tempo definido esta cada vez mais tomando volume de negócios e isso será explorado em outros segmentos, como logístico, saúde, beleza feminina e masculina e etc. os estudos que estão sendo feitos pelo em políticas sociais, irão definir e nortear muitos degraus dentro desse desafio profissional, definindo novos nichos de mercado e fortalecendo e fidelizando empresas com tecnologias inovadoras.
Quanto à indecisão faz a força, eu gostaria de reafirmar essa frase como sendo um desafio para as futuras décadas e gerações. “Tornou-se necessário à formação de profissionais cada vez mais capacitados, pois o mercado de trabalho se torna ainda mais exigente com seus profissionais, as empresas procuram muitas vezes de lamparinas” profissionais competentes e conhecedores de mercado para auxilia-las em suas intenções de crescimento e sustentabilidade. O profissional que buscar aprimorar seus conhecimentos sempre será um profissional disputado e bem remunerado, pois será considerado um inovador de informações e ideias.
Ter liberdade para dizer que estou trabalhando de férias creio eu que não será mais utopia no ano de 2020, pois muitos vão trabalhar por amor as suas profissões e isso reforça a tese de que haverá mercado de trabalho nessa época. Quem estiver em profissões que não proporcionam prazer para gerar motivação, poderá realmente ter problemas, pois as escolhas deverão estar respaldadas em algo sincero e prazeroso. Pois as tecnologias vindouras serão boas, mas também poderão influenciar o desanimo de alguns profissionais, achando que a máquina esta mais preparada que o homem “e isso nunca será verdade”.
A febre que aumenta pelos países desenvolvidos, levando os chamados trabalhos fixos e pagamentos mensais, promove uma tendência de queda, pois na medida em que vão avançando o conhecimento profissional e a tecnologia, avança também o mercado dos profissionais independentes, no mercado brasileiro desapegar-se dessa “conquista” vai mexer muito com a relação “salário x profissional independente” nossos profissionais ainda não estão preparados para um futuro próximo.
A população esta sendo informada da necessidade de mudanças, sustentabilidade, energia limpa, e renovável, será levado tão a sério que para alguns profissionais ou profissões esses conhecimentos se tornarão necessários, fazendo parte da grade curricular nas empresas que se preocupam com a sustentabilidade será levada a um crescimento ainda maior, mas as empresas que estão adiando “empurrando com a barriga” perderão muito em termos de profissionais “mão de obra” e em tecnologia na próxima década.
Hoje já existem empresas preocupadas com custos mais altos, empresas que estão trabalhando vários programas de saúde, incentivando a sua população profissional e de familiares a se monitorar nos programas para fumantes, obesos e sedentários, esses três segmentos hoje representam em torno de 10% da população com morte súbita e, a prevenção será tema de debates e de programas para evitar prejuízos maiores na próxima década.
A necessidade de descentralização será global, somos conhecedores que no mundo futuro cada peça – ou empresa, independente de pais, ranking, deverá se organizar em redes poderosas, definindo campanhas inteligentes e se for necessário recuar em suas estratégias. No Brasil há uma grande e forte tendência para a terceirização e empreendedorismo, hoje temos exemplos de pessoas que acreditaram e inovaram seus negócios como Bil Gates e Mark Zuckerberg que ficaram famosos por criarem organizações que realizaram inovações em seus setores.
Nos próximos dez anos a geração que nasceu nas décadas de 60 e 70 estará no topo da pirâmide, ocupando cargos de poder, e rumando para a aposentadoria, já existe também uma geração dos anos 80 que estarão assumindo posições importantes na pirâmide profissional e empresarial, enquanto alguns dos quarentões de hoje, ainda estão acostumados com hierarquias e horários, os jovens acima de 20 anos não querem passar muito tempo presos nos escritórios como simples empregados e nas mesmas funções por muito tempo, querem desempenhar e desenvolver o profissionalismo independente, pois o sucesso é o alvo de seus sonhos.
Isso não significa que os “cargos e salários” irão diminuir e que haverá menos produtividade, os jovens não só estarão bem adaptados às novas mudanças exigidas na próxima década, mais também estará inserido dentro do contexto da combinação tecnologia-velocidade-flexibilidade-cooperação, como suas habilidades serão essenciais para o trabalho de 2020.
As mulheres estarão no topo também, algumas empresas de consultoria pesquisaram que mais de um terço das 353 empresas que permaneceram no ranking da revista Fortune por pelo menos quatro anos. Ao que indica, elas tem habilidades mais adaptadas ao universo profissional de 2020.
Com as mudanças que ira sofrer o trabalho na próxima década, passando a ser uma atividade mais prazerosa. Não haverá sentido em deixar de fazer uma coisa que se gosta. No Brasil cada vez mais se discute o aumento dos anos para se pedir uma aposentadoria, para muito isso é preocupante, mas quero deixar afirmado que isso é prazeroso, pois a expectativa de vida esta aumentando e também vem melhorando a sua qualidade.
Com mais gente na ativa mais dinheiro circula, cria-se mais frente de trabalho, inovações nas áreas de saúde, turismo e lazer para os quase 25 milhões de idosos brasileiros dos próximos anos. “Vivendo bem dos 8 aos 80, as pessoas terão menos motivos para encarar a leseira da velhice numa cadeira de balanço”.

Tenório - gpmba


Nenhum comentário:

Postar um comentário